quarta-feira, 19 de abril de 2017

IN-JUSTIÇA















A justiça que falha, nunca tarda,
Tem postura altiva e soberana,
Quem pensar diferente se engana,
Na pequenez de um grão de mostarda.
Das multicores, ela, tem cor parda,
Ofuscando o meu campo de visão,
Inibindo a minha compreensão:
Quais os ventos que movem este moinho?
Do mosaico só pego um pedacinho
Penso até ser um quase cidadão.


PedrO MonteirO

Nenhum comentário: