quinta-feira, 24 de março de 2016

A LENDA DO PEIXE DOURADO


















Pedro Monteiro, cordelista piauiense radicado em São Paulo, ativista do movimento cultural e social, lança seu novo folheto pela EDICON Editora.

A ilustração é de João Gomes de Sá e diagramação de Josué Gonçalves.

Abaixo, as estrofes que abrem o folheto: 


Se avareza é um pecado,
Ganância é muito pior.
Sorte de quem nunca esquece
De olhar ao seu redor,
Apreciando a beleza,
Que nutre a delicadeza
E faz um mundo melhor!

Tem gente que na pobreza
Até lhe estende a mão,
Mas se lhes derem poderes
Endurece o coração,
Cobiçando o impossível,
De jeito irreconhecível
Na pratica da opressão.

A narrativa que segue
Faz um ligeiro recorte,
De quem, com muita arrogância,
Dedo em riste e braço forte,
Viu seu império ruir
E em águas fundas sumir
Sua reserva de sorte.  

Um pobre casal de idosos
Que habitava uma ilha,
Dividia uma cabana
Num exemplo de partilha;
Até surgir alvoroço,
De a mulher pôr o pescoço
Na sua própria armadilha.

Era a ilha de Buián,
Rússia, país fascinante,
Com a cabana fincada
Na floresta verdejante,
Pela vista parecia,
Ela por dentro seria
Um espaço aconchegante.

(...)

Um dia de manhãzinha
O velho estava a pescar,
Sentiu um repuxo na rede
Seguido de um murmurar:
— Vovô, não faças maldade,
Tenhas de mim piedade,
E devolvas-me ao mar.


Contato com o autor:


Nenhum comentário: