domingo, 13 de junho de 2010

HISTÓRIA DAS COPAS DO MUNDO EM CORDEL


*****É Lançado em São Paulo*****

A Caravana do Cordel, através da Editora Luzeiro, lançou seu primeiro trabalho coletivo contando a HISTÓRIA DAS 18 COPAS DO MUNDO, narrada por um time de 18 poetas.

COPAS X POETAS

1930 – Cícero Pedro de Assis
1934 – Cleusa Santo
1938 – Pedro Monteiro
1950 – Varneci Nascimento
1954 – Aldy Carvalho
1958 – Carlos Alberto Fernandes da Silva
1962 - Costa Senna
1966 - Moreira de Acopiara
1970 – Benedita Delazari
1974 – Aderaldo Luciano
1978 – Nando Poeta
1982 – Josué Gonçalves Araujo
1986 – João Gomes de Sá
1990 - Dé Pageú
1994 – Sebastião Marinho
1998 – Cacá Lopes
2002 – Marco Haurélio
2006 – Luiz Wilson

O trabalho ficou primoroso e agora com uma novidade, o cordel de 32 páginas com ISBN, é um verdadeiro livro, podendo ser consultado em qualquer parte do mundo, após ser feito o depósito legal. Este trabalho é resultante do time de poetas que se empenhou para fazê-lo e que está um primor, tudo sob a organização de Nando Poeta, o pai da idéia. A capa está simplesmente linda feito pelo André Mantoano, um jovem talento que tem se revelado um exímio capista.

Veja as primeiras estrofes do cordel:

O futebol pelo mundo
É uma forte paixão.
E sua Copa do Mundo
É momento de emoção,
Completam-se oitenta anos
Da sua realização.

Cada lance de uma Copa
Faz o torcedor vibrar.
Quando a sua seleção
Entra em campo pra jogar.
Seus craques, gols ou fracassos,
Fazem sorrir e chorar.

Por isso nossos poetas
Tentaram fazer a obra
Todos atletas da rima
Com poesia de sobra
Fazendo na arte do verso
Olé, gingado e manobra.

Cada um fez um resumo
No trabalho de gigante.
Caravana do Cordel,
Um movimento importante,
Mostra ao mundo do esporte
Que o cordel é atuante.

Revela que o futebol
Além de ter ginga pura,
De drible, de goleada,
De disputa e de bravura,
É possível ir do gramado
Para o campo da leitura.

Para conhecer o resto da obra, só comprando o cordel.

www.editoraluzeiro.com.br
ou
pedromonteirocordel@gmail.com

4 comentários:

Pedro Monteiro disse...

O ano mil novecentos
E trinta e oito, seguia,
Chegava a quatro de junho
Em clima de euforia,
Na França a Copa do Mundo
Começa naquele dia.

Dalinha Catunda disse...

Olá Pedro,
Muito interessante este trabalho sobre copas do mundo, nos versos de vários poetas.
Parabéns por sua participação e também por esse elo entre os poetas.
Um abraço,
Dalinha

São disse...

Quando passei férias em Fortaleza trouxe livros de cordel, que aprecio bastante.

Serena noite.

Rosário Pinto disse...

Olá poeta,
A publicação, cetamente, estará coroada de SUCESSO! Se não pelo tema que mobiliza toda a população brasileira pela qualidade dos poetas envovidos. PARABÉNS!!! Vamos querer aber o local de aquisição: se loja e/ou site/blog.
Abraços para todos que dela participaram. Pedro, meu abraço carinhoso,
Rosário Pinto